domingo, 25 de maio de 2014

Partido do choque de gestão


O senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato do partido à Presidência da República,  defende a liberdade de impressa, mas não defende a liberdade da população se informar. A Justiça de São Paulo negou seu pedido de bloqueio  de pesquisas na internet que relacionam seu nome ao “uso de entorpecentes” e desvio de dinheiro público durante sua gestão como governador de Minas Gerais. Mais informações aqui


Para quem acompanha e no caso acompanhava a página no Facebook intitulada Aécio Never, viu que ela foi constantemente ameaçada, tirada do ar, enfim, perseguida... Sendo que era irônica, mas baseada nas reportagens da grande mídia. 

O choque de gestão para seu partido é dizer que vai fazer algo para melhorar a gestão e não cumprir. Um exemplo é o tratamento que seu colega de partido Anastásia, governador de Minas Gerais faz com professores. O adicional de desempenho não foi pago para a categoria de professores (segundo o vídeo realizado em 2013). E Aécio também deixou sua marca na educação, quando governador do estado de Minas Gerais de 2002 até 2010. 

Esse vídeo abaixo feito por Beatriz, ligada ao sindicato denuncia a situação dos professores na rede estadual de Minas Gerais. Uma parte da descrição do vídeo:

Incomodados com a atuação do Sind-UTE/MG, amigos do senador Aécio Neves fizeram um vídeo em que chamam Beatriz Cerqueira de mentirosa por afirmar que o governo do Estado nunca pagou adicional de desempenho. 

Mas, a coordenadora-geral do Sindicato reafirma que, em 2003, o então governador, Aécio Neves, fez uma reforma administrativa e retirou dos novos concursados o direito a quinquênio e trintenário e propôs o adicional de desempenho, parcela fixa no contracheque. Mas este adicional não foi pago para a educação. No entanto, os autores do vídeo afirmam que a categoria recebia o "novo quinquênio" até 2011. "É muito simples esclarecer essa questão. No vídeo que postamos agora, diversos professores falam que jamais receberam esse adicional de desempenho e é essa a realidade de hoje."




quinta-feira, 22 de maio de 2014

Os "selfies"

Uma boa reflexão do tal dos selfies no site de Lola, trata-se de um texto traduzido:

"Selfies não são algo inerentemente ruim. E tirar 55 fotos do próprio rosto de ângulos ligeiramente diferentes, com variações de expressões, não é fundamentalmente errado MAS (você sabia que haveria um “mas”)… quando colocamos esse fenômeno impulsionado por mulheres no contexto da cultura na qual vivemos, as selfies não são apenas uma tendência trivial ou uma forma de expressão."


Continuação do texto

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Sobre a campanha #somostodosmacacos


Tentando entender o que se passou esses dias sobre a campanha #somostodosmacacos.

Realmente a atitude de Daniel Alves foi boa, ironizou a situação ao comer a banana jogada no campo para ofendê-lo.

Depois desse episódio, surgiu uma campanha #somostodosmacacos: “Essa campanha é vazia, burra, rasa, oportunista, leviana, desrespeitosa, criminosa. Reforça estereótipos e barra o diálogo, e por isso o seu sucesso, já que ninguém quer mesmo se envolver muito com o assunto. Está se sentindo ofendido ao ler isso aqui, porque aderiu e/ou achou o máximo? Vá brigar com a Loducca, o pai do Neymar, o Neymar, o Luciano Huck, a presidenta Dilma, as pessoas que nunca levaram a sério a tentativa de diálogo que os movimentos negros estão, há décadas, tentando estabelecer. Se a gente tivesse conseguido ter esse diálogo, uma das coisas que daria para perceber é a dificuldade de se esvaziar a simbologia impregnada em um ícone racista. A banana é um ícone racista, usado por racistas para xingar negros de macacos. Não é um publicitário que, de uma hora para outra, vai declarar que ela não é mais e, como num passe de mágica, ela passa a não ser. Esse pensamento mágico já foi tentado durante várias décadas, com a democracia racial. A gente sabe que não funciona, e bananas atiradas em campo, guinchos e trejeitos imitando macacos ainda estão aí para provar. Não para negar.Ana Maria Gonçalves - ver na íntegra no site Blogueiras Negras


Mas seguir esses dizeres #somostodosmacacos é complicado.  

Será que isso não vai favorecer mais seres alienados acharem que é “natural” chamar as pessoas de macaco por sua raça? Será?