terça-feira, 9 de julho de 2013

Excelente relato de um médico:


"Portugal já importa médicos cubanos desde 2009. Aqui também há dificuldade de convencer os médicos a ir trabalhar em regiões mais longínquos, afastadas dos grandes centros. Os cubanos vieram estimulados pelo governo, fizeram prova e foram aprovados em grande maioria (mais à frente vou dar maiores detalhes deste fato). A população aprovou a vinda dos cubanos, e em 2012, sob pressão popular, o governo português renovou a parceria, com amplo apoio dos pacientes. Portanto, um dos países com melhores resultados na área de saúde do mundo importa médicos cubanos e a população aprova o seu trabalho."

"Infelizmente até a classe médica aderiu ao ativismo de Facebook. O cara lê a Veja ou O Globo, se revolta com o governo, vai no Facebook, repete meia dúzia de clichês ou frases feitas e sente que já exerceu sua cidadania. Enquanto isso, a população carente, que nem sabe o que é Facebook morre à mingua, sem atendimento médico brasileiro ou cubano."

Por Pedro Saraiva no blog de Luis Nassif
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-questao-da-vinda-dos-medicos-cubanos-para-o-brasil

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Quanto mais médicos qualificados melhor


Os médicos mobilizam-se para exigir plano de carreira e melhor estrutura na rede de saúde pública no Brasil. Segundo muitos depoimentos, como um no blog da Lola , falta estrutura básica para atendimento. A precária situação de trabalho tanto para brasileiros quanto estrangeiros não é digna.  Os médicos criaram um site colaborativo, para relatar o descaso no SUS http://www.sossaude.org.br/


Hoje muitos médicos não querem ir para cidades do interior pela falta de estrutura da unidade de saúde e da cidade. O governo federal quer por meio de um projeto de emergência, “importar” médicos cubanos. 

Pelo que percebi as reivindicações giram em torno da exigência pela categoria dos médicos em revalidar o diploma dos estrangeiros e exigem melhor estrutura nas unidades de saúde.

Então, que o governo federal com as instituições competentes  realizem a “burrocracia” de revalidação de diploma e que venham médicos estrangeiros e melhor estrutura de atendimento!

Médicos cubanos são verdadeiros guerreiros, seu país mesmo com situação precária em todos os setores, ainda assim conseguem ser destaque nos rankings de educação de qualidade e saúde. No IDH em 2012 Cuba 59 ª posição no ranking (o, 780) e Brasil 85 ª (0,730).
Em 2011 no Ranking da Educação da UNESCO, Cuba 14 ª disputa praticamente com países europeus. E o Brasil 88 ª

O Brasil ocupa a 72ª posição no ranking da Organização Mundial de Saúde (OMS) de investimento em saúde, quando a lista é feita com base na despesa estatal por habitante. Os diversos governos gastam, juntos, uma média anual de US$ 317 por pessoa, segundo a última pesquisa da OMS, com dados relativos a 2008.

O desempenho brasileiro é 40% mais baixo do que a média internacional (US$ 517). A liderança do ranking de 193 países pertence a Noruega e Mônaco, cujas despesas anuais (US$ 6,2 mil por habitante) são vinte vezes maiores do que as brasileiras. “ (Carta Maior

Ranking da ONG Save the Children mensura número de profissionais da área da saúde disponíveis, alcance de sistema de vacinação pública e atendimento a gestantes e parturientes em 161 países (...)  Cuba foi a primeira nação latino-americana listada, na 8ª posição, à frente de Alemanha (10ª), França (12ª), Reino Unido (14ª) e Estados Unidos (15ª). Entre os latino-americanos, o Uruguai ocupa a segunda colocação, na 31ª posição geral, seguido pelo Brasil, na 35ª.” (Carta Maior, 07/09/2011)


Médico cubanos são verdadeiros especialistas em trabalhar com poucos recursos por conta do maldito embargo norte americano, que não permite Cuba realizar comércio com outros países.  Os Estados Unidos não larga o osso, por que será? Medo de um país pobre, com governo de esquerda contaminar o mundo com esse mal? Esse mal de dar condições mínimas de vida para todos? (Esse mal, disseminado de maneira superficial e cheio de interesses por revistas muito sábias como a Veja, que ajudaram a criaram o fantasma comunista).

Mais uma vez, com revalidação e melhor estrutura que venham os médicos cubanos, trabalhar junto com guerreiros brasileiros que estão sozinhos sobrecarregado de trabalho nos interiores do Brasil.


Observação: enquanto não temos médicos, quem está morrendo nos hospitais públicos: os pobres ou a elite do Brasil?


Que tenhamos políticas públicas com qualidade para todos e não somente para um grupo específico.

 

Já vi alguns posts alá revista Veja, então, para os sábios conservadores de plantão, os médicos cubanos não vão querer fazer a revolução aqui no Brasil, não é porque são cubanos que são guerrilheiros, eles vão vir para trabalhar. Eles provavelmente não se sentem representados com o governo de Fidel, provavelmente jogam a culpa da falta de estrutura do país no governo e não no querido Estados Unidos, como uma representante da “elite” cubana a blogueira Yoani  Sánchez, que sabiamente luta apenas contra o governo e não contra o embargo de anos no seu país.



quinta-feira, 4 de julho de 2013

O mundo global visto do lado de cá

Uma análise sobre a globalização que a Veja e a Rede Globo nunca vão fazer.



O documentário “O mundo global visto do lado de cá” do cineasta brasileiro Sílvio Tendler, faz uma abordagem dos problemas da globalização sob a perspectiva das periferias, com base nas análises e depoimentos do grande intelectual Milton Santos, com uma discussão muito atual. 
Aos 37 minutos do vídeo, manipulação da informação para defender ideais nacionalistas da mídia conservadora. Aos 48 minutos, fala sobre o rap e o registro audiovisual independente, como meios de valorizar a visão de quem vive na Ceilândia 
periferia de Brasília.

A grande mídia silencia as narrativas dos movimentos sociais e os outros lados de um fato.
Por outro lado, as comunidades registram suas lutas. 
  
O documentário faz um breve panorama dos movimentos no México, na França e os movimentos contra as privatizações da água e do petróleo na Bolívia. No Brasil, mostram a luta pela moradia nas cidades e nos campos. .

“Nós a classe média não queremos direitos, queremos privilégios. E os pobres não têm direitos, não pois, cidadania neste país, nunca houve.” Milton Santos.
 
Milton tem muitas críticas, mas ao mesmo tempo tem muita esperança, fala que nos últimos tempos é que começamos a ter humanidade de fato.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Desmilitarização da polícia

A desmilitarização da polícia é uma forma de valorizar-la como cidadãos.

De nada adianta mudar a lei penal e processual penal se não se alterar a cultura militarista dos seus principais aplicadores. Treinem a polícia como militares e eles tratarão todo e qualquer suspeito como um militar inimigo. Treinem a polícia como cidadãos e eles reconhecerão o suspeito não como “o outro”, mas como alguém com os seus mesmos direitos e deveres. Nossa polícia só será verdadeiramente cidadã quando reconhecer e tratar seus próprios policiais como civis dotados dos mesmos direitos e deveres do povo para o qual trabalha.”  Túlio Vianna


Justiça condena revista Veja por ofender professor de História

Perigo de ter a revista Veja como única fonte de informação, tradicionalmente distorce as informações.